sexta-feira, 20 de março de 2015

A Protegida, de David Baldacci

Deste autor, encontram-se "n" livros nos escaparates das principais livrarias, mas este, "A Protegida", nas minhas buscas, não encontrei que tivesse sido traduzido para português de Portugal. A edição que li, em formato de e-book, foi uma edição brasileira.

(o nome original da obra é "Saving Faith", para quem ficar curioso).

David Baldacci, para quem não conhecer o autor, é conhecido essencialmente pelos seus "thrillers".

"A Protegida" é um thriller, cujos bastidores são dominados pela cena "lobbista" no Senado norte-americano. Faith Lockhart é assistente de um conhecido lobbista, Danny Buchanan, que, a determinada altura da sua vida, decidiu direccionar os seus esforços na busca de apoios para causas humanitárias e tratamentos em países sub-desenvolvidos.
Ao mesmo tempo, começou a ser chantageado por pessoas ligadas à CIA, para recolher provas incriminatórias sobre as pessoas que aliciava. O trunfo: Faith, que Danny adora como filha.
Após uma tentativa de assassinato, que culmina na morte de um agente do FBI, Faith foge na companhia de um detective privado, Lee Adams.
Pelo meio, conhecemos Brooke Reynolds, uma agente do FBI que supostamente deveria estar com Faith na altura em que o colega foi assassinado, e que procura descobrir o paradeiro da jovem e resolver o caso do homicídio que ameaça colocar a sua carreira em "xeque-mate".
Sobre o autor (retirado - e adaptado - do site Wook.pt):
David Baldacci nasceu em 1960, na Virgínia, onde reside atualmente. Exerceu advocacia durante nove anos em Washington, dedicando-se depois à escrita. Do seu currículo faz parte um impressionante número de bestsellers, entrando frequentemente no primeiro lugar da lista dos mais vendidos do New York Times.
As suas obras obras estão traduzidas em cerca de 45 línguas e são comercializadas em 80 países.

domingo, 1 de março de 2015

A alternativa do Diabo, de Frederick Forsyth

Sinopse:
Após um histórico acordo com a URSS, o presidente dos EUA, Bill Matthews, e outros importantes estadistas precisam tomar uma decisão que, qualquer que seja a opção, matará gente inocente. No desenvolvimento da história somos transportados entre Moscovo e Londres, Roterdão e Washington, e, inclusivamente, de casa de campo na Irlanda para bordo do maior petroleiro do mundo, que ameaça poluir todo o Atlântico Norte

Pelo meio, temos conhecimento de diversos jogos nos bastidores da Casa Branca, de Downing Street e do Comité Central do Partido Comunista russo. Conhecemos um espião, cujo nome de código é "Nightingale", que apenas comunica com Adam Munro da British Intelligence. E conhecemos os planos de nacionalistas ucranianos para fazer cair o presidente russo, Maxim Rudin. 

E todos estão envolvidos numa teia digna do seu tempo.

A Alternativa do Diabo data de 1979, e é um dos grande títulos do autor britânico, e marca, em definitivo, a escolha de Forsyth pelo género "espionagem internacional". 

Sobre o autor (adaptado da Wikipédia): 
Frederick Forsyth, é um escritor inglês. Educado na Tondridge School, e depois na Universidade de Granada, na Espanha, aos 19 anos, começou a servir a RAF como um dos mais jovens pilotos, tendo servido até 1958.
Forsyth é especialista em romances envolvendo espionagem e política internacional. Dele já li o livro "O Vingador" (o que me lembra que tenho de recuperar "O Quarto Protocolo" que jaz algures na estante).