quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Novidade: Uma Sequela Inconveniente – Verdade ao Poder, de Al Gore

O que mudou em 10 anos e o que temos de fazer para salvar a Terra? Al Gore regressa com "Uma Sequela Inconveniente – Verdade ao Poder"

Uma década após ter recebido o Prémio Nobel da Paz e do lançamento de "Uma Verdade Inconveniente", Al Gore regressa com "Uma Sequela Inconveniente – Verdade ao Poder", editado em Portugal pela Actual Editora, reforçando a mensagem sobre o impacto das alterações climáticas e a crise ambiental. Presenciamos fenómenos climáticos cada vez mais extremos e líderes de potências mundiais pouco sensíveis à temática ambiental: o que mudou em 10 anos e o que temos de fazer para salvar a Terra?

O antigo vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, acaba de lançar o seu mais recente livro sobre as alterações climáticas: Uma Sequela Inconveniente: Verdade ao Poder. Esta obra, que dá mote também ao seu novo filme documentário, é um ousado apelo à ação, que não só descreve como o futuro da civilização se encontra ameaçado, como fornece conselhos concretos para a resolução da crise ambiental.

Na sua nova obra, Al Gore reúne investigação científica, histórias pessoais e observações ousadas para documentar a velocidade crescente e o alcance cada vez maior do aquecimento global enquanto expõe soluções agora disponíveis.

Com uma escrita clara e uma certeza revigorante, Al Gore expõe na sua nova obra alguns dos efeitos que advêm das alterações climáticas, como o aumento da temperatura da Terra, a propagação de vírus como o Zika, a agitação política e outros desastres da década passada. O Nobel da Paz refere que estes efeitos podem ser bem mais abrangentes do que pensamos, trazendo consequências desastrosas para o mundo.

Al Gore, que esteve recentemente em Lisboa como convidado da Web Summit, afirma que «temos finalmente soluções» para inverter o aquecimento global, resolvendo assim a crise climática.

Sobre o autor:
Al Gore é o cofundador e presidente da Generation Investment Management. É sócio principal da Kleiner Perkins Caufield & Byerse e membro do Conselho de Administração da Apple Inc. Passa grande parte do tempo como presidente do Climate Reality Project, uma organização sem fins lucrativos dedicada à resolução da crise climática.
Foi eleito para a Câmara dos Representantes dos EUA em 1976, 1978, 1980 e 1982 e para o Senado norte-americano em 1984 e 1990. Foi empossado 45º vice-presidente dos Estados Unidos a 20 de janeiro de 1993, tendo servido oito anos. É autor dos bestsellers A Terra em Equilíbrio, Uma Verdade Inconveniente, O Ataque à Razão, A Nossa Escolha e, mais recentemente, O Futuro: Seis Forças que Irão Mudar o Mundo. Foi tema do documentário galardoado com o Óscar Uma Verdade Inconveniente e de um novo documentário, que estreou em julho de 2017, Uma Sequela Inconveniente: Verdade ao Poder.
Foi galardoado, juntamente com o Intergovernmental Panel on Climate Change, com o Nobel da Paz em 2007, por «informar o mundo dos perigos advenientes da alteração climática».
Gore nasceu a 31 de março de 1948 e vive em Nashville, Tennessee.

Ficha Técnica:
Actual Editora
22.90€


terça-feira, 21 de novembro de 2017

Novas aquisições

Tenho muitos livros. Sou do género de pessoa que acha que nunca tem livros a mais e que é pegada a cada um deles. Posso já nem me lembrar bem do enredo de cada um, mas, em determinado momento, fizeram parte da minha História pessoal. Cada um dos meus livros, é "eu" em algum momento. Eu escolhi-os. E eu não posso "desbaratar" parte de mim...

Isto para chegar a uma conclusão: tenho tantos livros, alguns que ainda nem abri, e eis que dou para mim... adivinhem? Exato, a comprar mais livros. Só na semana passada, foram três.

1.º A História de uma Serva, de Margaret Atwood
Tem havido um sururu enorme em torno da série "Handmaid's Tale" e comecei, na sexta-feira, a ver o 1.º episódio. Adorei. Fui saber mais informações e logo à cabeça vi que era baseada no livro com o mesmo nome. Li a sinopse e puxou-me pela curiosidade. Ao invés de ver o 2.º episódio, fui pesquisar se conseguia encontrar à venda o livro. Sim, na Bertrand.
Comprei o único exemplar que havia na Bertrand mais próxima de mim. Já ultrapassei o meio do livro.

2.º Os Irmãos Karamázov, de Fiódor Dostoievski
Há poucos meses, em Cascais, esta obra foi levada à cena por Carlos Avillez no Teatro Experimental de Cascais. Entrevistei este encenador, e claro que tive de me "mexer" para conhecer o mínimo essencial para a conversa. Fiquei apaixonada pela história e, este fim-de-semana, ao entrar na FNAC, ali estava ele, com 50% de desconto. Agarrei-o e só o larguei na caixa para pegar na carteira e pagar à senhora.

3.º Ana Karenina, de Tolstoi
Ok, ok, estou a parecer armada ao pingarelho com mais um clássico russo. Mas este era um livro que queria há muito. Na mesma altura em que andava com "Os Irmãos Karamázov" agarradinhos a mim, procurei a Karenina, não fosse a "bichinha" também estar em promoção. Encontrei um exemplar da Civilização Editora, a um preço "ridículo" (11€). E claro, que também veio viver cá para casa.

E foram estes os meus luxos da semana.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Novidade: O Sétimo Mandamento, de Tom Fox

O novo livro de Tom Fox - O Sétimo Mandamento - já se encontra nas livrarias. Depois da publicação do sucesso Dominus (publicado, no ano passado, pela TopSeller), Tom Fox oferece uma nova perspetiva sobre o conceito da fé e da natureza dos milagres, que agradará muito aos leitores.


Sinopse:
Serão todas as profecias verdadeiras?

Durante uma escavação arqueológica realizada no centro de Roma, é encontrada uma antiga tábua de argila com sete profecias inscritas em acádio, uma língua há muito extinta. A primeira profecia previa que aquele que encontrasse a tábua morreria de forma funesta e célere. E assim acontece. Quando, uma a uma, as profecias se vão realizando, o pânico e o caos instalam-se na cidade.

O relógio não para.

Numa corrida contra o tempo, em que cada segredo esconde uma mentira, e em que estranhos versos de uma tábua antiga parecem conter as respostas, cabe a Angelina Calla, especialista em acádio, e a Ben Vordyx, dos Arquivos Secretos do Vaticano, descobrir o que está por detrás desta maldição.

Será tudo isto real?

Sobre o autor:
Tom Fox é um conhecedor profundo dos meandros do Cristianismo, resultado de muitos anos de estudos académicos.
Sendo uma autoridade respeitada no assunto, Tom Fox dedicou-se recentemente à exploração de novas histórias, que se destacam devido à sua dimensão misteriosa.

Ficha Técnica:
Editora TopSeller
400 páginas
17,69€

Novo livro de Gonçalo Cadilhe

Gonçalo Cadilhe e viagens são duas realidades inseparáveis. E, apressem-se, fãs de Cadilhe: o Esplendor do Mundo chega quarta-feira (dia 22) às livrarias de todo o país.

Do nascer-do-sol nas dunas da Namíbia ao entardecer nas Cinque Terre, da descida do rio Mekong em balsa à travessia do Pacífico num cargueiro, ou dos Templos de Tikal ao exército de terracota de Xian, Gonçalo Cadilhe seleciona nestas páginas 99 destinos que o leitor devia conhecer, mesmo aqueles que nunca irá querer visitar.




domingo, 19 de novembro de 2017

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Estamos no TWITTER

Pois é, decidi criar a página Capa Mole & Companhia no Twitter. Bem sei que no Facebook talvez tivesse mais visibilidade, mas uma coisa de cada vez e optei pela rede social do passarinho azul.

Sigam em https://twitter.com/CapaMole e serão crianças muito mais felizes, até porque algumas das coisas que coloco por lá, não aparecem no blogue, para não sobrecarregar a minha audiência.

Ainda tenho pouquinhos seguidores, mas com amor e carinho, iremos crescer!


quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Novidade: O Bebedor de Horizontes, de Mia Couto

A apresentação deste livro teve lugar na Sala do Arquivo da Câmara Municipal de Lisboa, 
no passado dia 9 de novembro.

Esta novidade da Caminho faz parte da trilogia As Areias do Imperador, constituída pelos livros Mulheres de Cinza (livro um) e A Espada e a Azagaia (livro dois)

Neste último volume da trilogia, os prisioneiros embar­cam no cais de Zimakaze e a lancha parte em direção ao posto de Languene. Ali farão uma breve paragem para depois rumarem para o estuário do Limpopo e ali darem início à viagem marítima que conduzirá os africanos para um distante e eterno exílio.

Sobre o autor:
Mia Couto é largamente traduzido e galardoado: Prémio Vergílio Ferreira 1999; Prémio União Latina de Literaturas Românicas 2007. Ainda em 2007 Mia foi distinguido com o Prémio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura pelo seu romance O Outro Pé da Sereia. Jesusalém foi considerado um dos 20 livros de ficção mais importantes da rentrée literária francesa por um júri da estação radiofónica France Culture e da revista Télérama. Em 2011 venceu o Prémio Eduardo Lourenço, Em 2013 foi galardoado com o Prémio Camões e com o prémio norte-americano Neustadt.

Ficha técnica:
PVP: 18,80 euros 
(16,92 euros no site http://www.leyaonline.com, numa promoção de 10% até 07/02/2018)
384 páginas
ISBN: 9789722128889

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Nas livrarias: 1147 A Conquista de Lisboa, de Miguel Gomes Martins

A apresentação deste livro decorreu na FNAC do Chiado, tendo sido apresentado por José Varandas, professor auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, sub-diretor do Centro de História e coordenador do curso de Mestrado em História Militar. 

Sobre o livro:
No início de julho de 1147, auxiliado pelos Cruzados, D. Afonso Henriques deu início à tomada de Lisboa aos muçulmanos. A empreitada, que ficou conhecida como A Conquista de Lisboa ou o Cerco de Lisboa, levou 3 meses e terminou em outubro do mesmo ano, passam agora 870 anos.

Ao recorrer ao testemunho de múltiplas fontes portuguesas e estrangeiras que até hoje têm sido pouco utilizadas, o historiador Miguel Gomes Martins - autor dos livros De Ourique a Aljubarrota, Guerreiros Medievais Portugueses e Guerreiros de Pedra - apresenta uma nova perspetiva sobre este episódio algo esquecido pela historiografia das últimas décadas.

Com base em novas informações sobre a História Militar da Idade Média, a Lisboa muçulmana e a História da Cruzada, o autor reconstitui, de uma forma rigorosa e eloquente, este acontecimento decisivo na nossa história e na construção do país que somos hoje.

Sobre o autor:
Miguel Gomes Martins nasceu em Lisboa em Fevereiro de 1965. É licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e é mestre e doutor em História da Idade Média pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, grau que obteve com a dissertação intitulada Para Bellum. Organização e Prática da Guerra em Portugal durante a Idade Média - 1245-1367 (Prémio Defesa Nacional – 2009). 
É autor de diversos trabalhos de História Militar Medieval (entre monografias, artigos e actas de congressos), de entre os quais se destacam os livros Lisboa e a Guerra (1367-1411); A Vitória do Quarto Cavaleiro – O Cerco de Lisboa de 1384; A Alcaidaria e os Alcaides de Lisboa (1147-1433); As Cicatrizes da Guerra no Espaço Fronteiriço Português (1250-1450), em co-autoria com João Gouveia Monteiro (Prémio Cunha Serra, da Academia Portuguesa de História – 2011); De Ourique a Aljubarrota – A Guerra na Idade Média; Guerreiros Medievais Portugueses-De Geraldo Sem-Pavor ao Conde de Avranches; A Arte da Guerra em Portugal - 1245 a 1367 (Prémio Augusto Botelho da Costa Veiga - 2014);Guerreiros de Pedra. Castelos, Muralhas e Guerra de Cerco em Portugal na Idade Média (Prémio Augusto Botelho da Costa Veiga, da Academia Portuguesa da História - 2016). 
É técnico superior do Gabinete de Estudos Olisiponenses, colaborador do Centro de Estudos da História da Sociedade e da Cultura da Universidade de Coimbra e investigador integrado do Instituto de Estudos Medievais, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova, onde lecciona a cadeira opcional de História da Guerra na Idade Média.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Novidade: A Terceira Voz, de Cilla e Rolf Börjlind

Sinopse:
Um homem enforcado, uma mulher brutalmente assassinada, um denominador comum.

Após ter descoberto uma verdade perturbadora e violenta sobre o seu passado, Olivia Rönning decide adiar o que poderia ser uma promissora carreira na Polícia. É então que o pai da sua amiga Sandra Sahlmann, um funcionário da alfândega em Estocolmo, aparece enforcado em casa.

À primeira vista, tudo aponta para suicídio. Olivia, porém, sente que algo não bate certo. Ela sabe que não se deve envolver, mas o caso torna-se demasiado pessoal.

Em simultâneo, uma mulher é brutalmente assassinada em Marselha, França. Trata-se de Samira Villon, uma ex-artista de circo cega que fazia filmes pornográficos para sobreviver. Sem saber o que o espera, Tom Stilton, um ex-inspetor da Polícia com quem Olivia colaborou no passado, é arrastado para este caso.

Duas mortes aparentemente desligadas entre si juntam novamente Olivia Rönning e Tom Stilton numa investigação de contornos surpreendentes. Conseguirão eles resolver ambos os casos e impedir que mais pessoas tenham destinos trágicos?

Sobre os autores:
Cilla e Rolf Börjlind são um casal de autores bestsellers suecos, cujas obras retratam uma sociedade repleta de conflitos sociais.
Figuram entre os argumentistas mais aclamados da Suécia, sendo autores de 26 guiões de policiais e thrillers para cinema e televisão.
Maré Viva, o primeiro thriller dos autores que a Topseller lançou, recebeu arrebatados elogios por parte da crítica, tendo os seus direitos sido vendidos para 30 países.
A Topseller orgulha-se agora de dar a conhecer aos leitores portugueses A Terceira Voz, o thriller seguinte desta dupla maior da literatura escandinava.

Ficha Técnica:
​Edição Topseller
19,99€ 
448 páginas​


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

A Cicatriz do Mal, de Pierre Lemaitre

"Não conhecemos mais de uma centésima parte do que nos acontece. 
Não sabemos que pequena parte de céu paga todo este inferno"
William Gaddis, The Recognitions
(frase que antecede o início da ação do livro)


aqui tinha falado deste livro - A Cicatriz do Mal, de Pierre Lemaitre - na altura do seu lançamento. E agora tive a hipótese de o ler. Com algumas (MUITAS!) interrupções pelo meio, porque um certo cavalheiro de 4 anos não gosta de ver a mãe a ler tranquilamente, demorei mais de uma semana a terminá-lo...

A Cicatriz do Mal é a conclusão da trilogia que envolve o comissário Camille Verhœven,  comandante da Brigada Criminal francesa. Neste livro, vemos a história de Camille, após os eventos de "Irène" e "Alex", os primeiros livros desta série".

A Cicatriz do Mal é o meu género de livro: thriller/policial negro, com um protagonista que não é um herói... será, aliás, muito mais um anti-herói. Não é o polícia bonito e sexy que derrete corações enquanto resolve crimes, mas sim um policial com 1,45 metro, viúvo, pouco social, que pouco segue as regras...

Neste livro - que aviso já: não é para meninos! - começamos imediatamente com um resumo daquilo que vai acontecer: a mulher que Camille ama vai ser atingida por três tiros de espingarda de repetição, exatamente no dia em que é o funeral do seu melhor amigo. Após o luto, Camille consegue superar a perda da mulher e envolve-se com Anne Forestier, "uma mulher luminosa": "delicadamente morena, um belo olhar verde-claro, um sorriso estonteante quanto baste...".
Durante um dia normal, Anne, simplesmente, está no sítio errado, na hora errada, quando dá de caras com um trio de assaltantes, à entrada de umas galerias comerciais. Violentamente espancada e atingida a tiro, Anne, por milagre, sobrevive e é transportada para o hospital.

Camille, saltando etapas, consegue que este caso lhe seja entregue, nunca revelando a relação que o liga a esta vítima que ele finge não conhecer - este namoro é recente e praticamente secreto. Inclusivamente, mente aos seus superiores de forma a manter-se na investigação.

Anne continua a ser perseguida: no hospital e no refúgio para onde Camille a leva.

Mas quem é esta mulher? Porquê esta fixação por Anne? O que não está a ser bem explicado? Quem é a verdadeira vítima de todo este cenário?

São estas perguntas - sem resposta aparente - que queremos ver respondidas. O mais depressa possível.
O livro está muito bem construído. Vemos a ação sob a perspetiva de Camille e do assaltante, durante as várias horas de 3/4 dias consecutivos... o tempo que vai desde o assalto até à conclusão do caso.